A PROGRAMAÇÃO NEURO LINGUÍSTICA – PNL estuda o modo como as pessoas processam a informação, constroem esquemas de significado e utilizam competências para atingir resultados.

Segundo a PNL, cada um de nós funciona com base em representações internas do mundo – os “mapas” e não no próprio mundo – o “território”.
A maior parte dos “mapas” que criamos são distorcidos e limitados. A tarefa do terapeuta é compreender o “mapa” que o paciente faz do “território”.

No entanto, “o mapa não é o território”, ou seja, as pessoas reagem às suas próprias perceções da realidade; cada pessoa possui o seu mapa individual do mundo; o significado da comunicação com outra pessoa é a reação que ela provoca naquela pessoa não obstante a intenção do comunicador; as pessoas já possuem todos os recursos de que precisam para agir de maneira eficaz; as pessoas fazem as melhores escolhas disponíveis a partir das possibilidades e capacidades que, segundo elas, estão disponíveis no seu modelo de mundo; as mudanças ocorrem a partir dos recursos adequados ou da ativação do recurso potencial, para um contexto especifico, por meio do enriquecimento do mapa do mundo da pessoa.

Estes mapas que a pessoa faz do mundo são representados pelos cinco sentidos, sistemas representacionais – visual, cinestésico, paladar, olfativo, auditivo. Estes princípios ajudam a perceber como cada indivíduo perceciona a si e o mundo que o rodeia. A PNL parte do princípio de que guardamos as experiências nos mesmos sistemas representacionais que usamos para absorver a informação.

Através da PNL a nossa equipa percebe a forma como as pessoas constroem as suas experiências, processos cognitivos, ou seja, como as pessoas experienciam o mundo. O nosso papel enquanto terapeutas será de ajudar o paciente a realizar mudanças desejadas na sua vida e atingir objetivos aceitáveis.

O modelo linguístico da PNL permite-nos ter acesso à “estrutura profunda” do paciente a partir das suas afirmações sobre a estrutura superficial. Quando a pessoa deseja comunicar forma uma representação linguística da sua experiência que se chama “estrutura profunda”. Quando começa a falar realiza um conjunto de escolhas acerca da forma de comunicar as suas experiências. O processo de escolha resulta na “estrutura superficial”. Os problemas ocorrem quando os pacientes fazem afirmações que não representam bem as suas experiências – eliminações, distorções e generalizações. E é aí que atuamos e ajudamos a pessoa.

Através da PNL ajudamos o paciente a eliminar comportamentos indesejáveis, desenvolver habilidades, reprogramar pensamentos, emoções e alcançar resultados de excelência, de alta performance, tanto a nível pessoal como profissional.

Com a PNL podes:

Conectar melhor os pensamentos;
Aumentar a consciência dos estados emocionais;
Alterar comportamentos indesejáveis, tornando-os mais assertivos;
Comunicar de forma mais assertiva;
Obter melhores resultados – profissionais, pessoais, relacionais, familiares;
Potencializar capacidades;
Atingir a alta performance;
Tratar doenças psicossomáticas;
Tratar fobias, medos, crises de ansiedade e pânico.